Resenha: Uma Mulher na Escuridão | Charlie Donlea

Título: Uma Mulher na Escuridão
Autor(a): Charlie Donela
Editora: Faro Editorial 
Avaliação: ★★★

Sinopse: Ao limpar o escritório de seu pai, falecido há uma semana, a investigadora forense Rory encontra pistas e documentos ocultados da justiça que a fazem mergulhar num caso sem solução ocorrido 40 anos atrás. No verão de 1979, cinco mulheres de Chicago desapareceram. O predador, apelidado de Ladrão, não deixou nenhum corpo ou pista ― até que a polícia recebeu um pacote enviado por uma mulher misteriosa chamada Angela Mitchell, cujas habilidades não-ortodoxas de investigação levaram à sua identidade. Mas antes que a polícia pudesse interrogá-la, Angela desapareceu. Agora, Rory descobre que o Ladrão está prestes ser posto em liberdade condicional pelo assassinato de Angela: o único crime pelo qual foi possível prendê-lo. Sendo um ex-cliente de seu pai, Rory reluta em representar o assassino, que continua afirmando não ser o assassino de Angela. Agora o acusado deseja que Rory faça o que seu pai prometeu: provar que Angela ainda está viva. Enquanto Rory começa a reconstruir os últimos dias de Angela, outro assassino emerge das sombras, replicando o mesmo modus operandi daqueles assassinatos. A cada descoberta, Rory se enreda mais no enigma de Angela Mitchell, e na mente atormentada do Ladrão. Traçar conexões entre passado e presente é a única maneira de colocar um ponto final naquele pesadelo, mas até Rory pode não estar preparada para a verdade...

Rory Moore é uma das melhores em seu ramo. Uma perita e investigadora forense que observa aquilo que poucos conseguem perceber. Extremamente inteligente e habilidosa naquilo que faz ela normalmente percebe situações que ninguém mais viu no caso e assim consegue resolve-los. Porém, seu trabalho a entedia e com isso ela fica muitas vezes distante e por fora pois precisa de momentos para si. Apesar disso, sua cabeça funciona de maneira diferente, muitas vezes preferindo ficar isolada e com tendenciais obsessiva-compulsiva, só se sente bem ao lado de pouquíssimas pessoas e não sente problemas com isso.

E a única coisa que consegue acalma-la é a restauração de bonecas que aprendeu na infância junto com sua tia Grace, e é dessa forma que seu chefe irá atrai-la para um novo caso. Uma mulher foi misteriosamente assassinada e a polícia de Chicago não tem pista nenhuma dobre quem teria realizado esse crime, e para piorar ele está usando o mesmo modos operandi de um famoso serial killer da década de 70.

Angela Mitchell é uma mulher misteriosa. Por ter um passado extremamente difícil, além de sua tendência obsessiva-compulsiva acaba por se ver obcecada a estudar um caso que viu na televisão. O serial killer apelidado como O Ladrão tinha feito mais uma vítima, outra jovem que não teve como escapar com vida, e ao ver ela sente uma vontade de desvendar o caso e descobrir quem está por trás de todos esses crimes. Ela começa a mapear características das mulheres, locais de desaparecimento e compara com dados da base do estado para tentar achar um norte em sua investigação.

Em todas as suas pesquisas ela diversas vezes é surpreendida por fatos e fica se questionando sobre todos a sua volta e em quem ela pode confiar. E nas suas investigações ela consegue algo surpreender. Ela descobre a identidade do Ladrão. Com isso, ela monta um dossiê completo e o entrega para a polícia, porém logo em seguida ela desaparece sem deixar rastros e a população não tem dúvidas. Angela foi vítima daquele em que ela estava investigando, e este é o único crime por qual ele pode ser condenado.


Quando Rory decide aceitar o caso que seu chefe lhe oferece ela acaba sofrendo um baque. Seu pai acaba falecendo após um ataque cardíaco e ela precisa organizar todo o escritório de advocacia. Ela consegue transferir a maioria dos casos para outros advogados assumirem mas apenas um ela não consegue fazer isso, afinal está muito próximo do julgamento e não teria tempo hábil de outro profissional ocupar o lugar. E acaba que Rory precisa assumir o caso do Ladrão. E continuar aquilo que seu pai começou, achar o paradeiro de Angela, e provar que ela não foi morta por ele e que está viva por ai.

Apesar de relutar para investigar esse caso ela começa a se aproximar da vítima e sente que precisa dar um final digno a toda essa história, além de tentar entender o porquê de seu pai ter aceitado trabalhar para uma pessoa como essa, isso ia contra todos os seus princípios. E quanto mais Rory se infiltra e descobre sobre essa história ela percebe que não tem como mais voltar atrás e que descobertas poderão mudar toda a sua vida, e daqueles que ela mais ama.

Depois de ter lido A Garota do Lago eu necessitada de outra história do Charlie Donlea, que me conhece sabe o quanto eu fiquei panfletando esse livro por ai e não me decepciono. E quando veio a chance de ler Uma mulher na escuridão eu embarquei na história sem saber nada sobre ela, apenas confiando que ele manteria o mesmo ritmo que foi com a primeira história dele que li. E foi exatamente assim. Com uma escrita fluida e intrigante ela te prende desde as primeiras páginas e faz você querer consumir toda a história de uma só vez.

Nesse livro acompanhamos o ponto de vista das nossas duas protagonistas Angela e Rory, a primeira em 1979 enquanto investiga O Ladrão e toda a sua história e a outra já em 2019 quando Rory precisa assumir o caso dele e investigar sobre a misteriosa mulher que o colocou na cadeia. E é muito bom acompanhar cada detalhe, ficava muito ansiosa nas partes da Angela para tentar identificar o assassino e fui extremamente surpreendida, diferente do que ocorreu no primeiro livro dele onde já imaginava quem seria o killer. Além da descoberta final que apesar de no decorrer da história se tornar um pouco previsível não tira a expectativa da história.

A priori, tinha me decepcionado um pouco pois como diz na sinopse ela inicialmente iria investigar um assassinato e isso acaba sendo esquecido em 90% do livro mas foi noticiado que está saindo um novo livro com os mesmos personagens desse e espero que nele algumas pontas soltas que ficaram dessa história se resolva e não posso negar que estou ansiosa para mais sobre a Rory.

Queria poder falar muito mais sobre essa história e o quanto eu amo a escrita e ideias do Charlie mas qualquer coisa que eu possa pensar em acrescentar estaria dando spoilers para vocês e não quero estragar a experiência de leitura com essa história. Quem não leu nada dele espero muito que deem uma chance pois não irão se arrepender.

Alguém já leu os outros livros dele? Se sim, o que acharam?

Até a próxima
Beijinhos

Thay


Thayná Alves

Thayná Alves, 19 anos, carioca, cursando Relações Públicas e apaixonada por livros e séries.

2 comentários:

  1. Oi, Thayná como vai? Este livro me parece excelente, ainda não li. A Garota do Lago me agradou bastante, espero gostar deste também. Excelente a resenha. Abraço!

    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Eita! Eu gosto de livros assim e me interessei muito por esse. Só fiquei cabreira pelo detalhe que vc mencionou sobre a investigação dos assassinatos ficar esquecida em boa parte do livro. Foi justamente esse crime que chamou a minha atenção na sinopse. Mesmo assim, se eu tiver a chance de ler, lerei com certeza!

    =)

    Suelen Mattos
    ______________
    Romantic Girl

    ResponderExcluir